Para quem procura o peso ideal, este período do ano é simplesmente uma guerra, uma dura batalha a ser vencida. Todos os anos a indústria alimentar inova e reformula os alimentos destinados à Páscoa. São amêndoas recheadas e cobertas, ovos coloridos e recheados. Uma autêntica perdição.

Para quem gosta de chocolates, ‘nadar contra a maré de chocolate’ não leva a nada. Só vai criar ainda mais stress e ansiedade. O melhor é render-se de maneira controlada e moderada para não colocar em risco todo o peso perdido e a dedicação a uma Alimentação Saudável.

Tal como o provérbio diz: «Se não os pode vencer, junte-se a eles». Nesta época especial vai-se eliminar o excesso de chocolate, juntando o sabor e os benefícios de determinados alimentos para o nosso bem-estar. Nada de tristezas, experimente estes alimentos e verá que terá uma Páscoa feliz!

Papel principal – O chocolate

Regra geral, o Domingo de Páscoa traz alegria por reunir a família, para celebrar a ressurreição de Cristo. Esta festa é marcada também pela presença do chocolate que assume o formato de Ovo de Páscoa aparecendo sob vários tamanhos, cores e formas. A tradição de utilizar o chocolate como protagonista da comemoração desperta euforia nos que o apreciam e torcem para que estes dias cheguem logo. Mas, qual é o verdadeiro significado da Páscoa? Como apareceram os Ovos da Páscoa? E os ‘coelhos’? Conheça um pouco da história e das curiosidades de uma das festas mais esperadas do ano.

Como surgiu a Páscoa

A palavra ‘Páscoa’ é de origem hebraica (Pessach) e significa passagem. A Páscoa já era celebrada pelos judeus antes mesmo do nascimento de Jesus Cristo. Os judeus comemoram este dia, há muito tempo, só que com outro significado, o de liberdade após anos de escravidão no Egito. Em contrapartida, para os cristãos, a Páscoa tem um significado especial e diferente, uma vez que celebra o renascimento de Jesus Cristo e a sua ascensão ao Céu, 2 dias depois da morte na cruz (Sexta-Feira Santa).

Os coelhos e os ovos de Páscoa

O coelho, apesar de ser um mamífero, e por isso, não pôr ovos, assumiu o papel de fabricante e distribuidor dos ovos de Páscoa. Isto devido à notória capacidade de reprodução destes animais que se tornaram símbolo da fertilidade. Já o ovo representa o despertar da vida e a origem do mundo. Daí a relação com a ressurreição de Cristo e a Páscoa.

A tradição

Presentear a família e os amigos com ovos coloridos é um costume antigo dos Chineses. Estes tinham por hábito decorar ovos de galinha e davam de presente a pessoas queridas, em comemoração à Festa da Primavera, que no Hemisfério Norte, coincide com os meses de março e abril, próprios da Páscoa. Ao longo dos anos, este costume foi copiado dos outros povos e culturas do mundo e os ovos de galinha passaram a ser substituídos por ovos de madeira, de prata e de ouro, decorados com pedras preciosas e, por fim, pelos ovos de chocolate, em consequência da chegada das indústrias alimentares. Atualmente, o chocolate na Páscoa, é como o bacalhau ou o peru na época natalícia – tem que estar presente no período da Páscoa seja no formato de bombons, em barras, em corações, em coelhinhos ou na maneira mais tradicional, que é a do Ovo de Páscoa.

Valor calórico dos Ovos de Páscoa

O valor calórico dos ovos varia de acordo com o tipo de chocolate e de recheio que foram utilizados como matérias-primas. Abaixo, seguem alguns exemplos de Ovos de Páscoa com os seus valores energéticos expressos por 100 g (aproximadamente).

OVOS DE PÁSCOA (100 gr) CARACTERÍSTICAS CALORIAS
Com avelã De Leite 564
Com amêndoas e passas De Leite 555
Crocante De Leite 520
Puro De Leite 540
Crocante Branco 565
Tradicional Branco 542
Ovo Dietético Isento de Açúcar 473
Ovo Light Teor Reduzido de Açúcar e Calorias 395


Conselhos para conservar melhor o chocolate:

Para que a qualidade do chocolate seja mantida, alguns cuidados devem ser tomados na hora de acondicioná-lo. É indicado que os ovos permaneçam em local seco, arejado e protegido de fontes de calor e de odores intensos. Por serem bastante frágeis, alguns chocolates necessitam de alguns cuidados especiais para se evitar quedas, choques e quebras do chocolate, assim como o derreter.

Conselhos para uma alimentação sem chocolate:

As recomendações dadas para o Carnaval, também podem ser aplicadas para a Páscoa. Só que temos de ter mais cuidado com o consumo de chocolate, por isso, em seguida encontram-se alguns conselhos propícios para esta época.

  • Procure não comer mais do que 50 g de chocolate por dia.
  • Coloque os chocolates que mais gosta no frigorífico; quando for comê-los tente chupá-los como se fossem rebuçados, assim, saboreia-os por mais tempo.
  • Antes de pensar em comer chocolate, opte por comer uma peça de fruta, por exemplo, uma maçã ou uma pera. A maioria das frutas ajuda a diminuir a absorção da gordura pelo organismo, devido às fibras que contêm.
  • Evite comer chocolate todos os dias. Este comportamento pode viciar o paladar e exigir maiores quantidades de chocolate.
  • Aumente a atividade física a praticar.

 

Por Alexandre Fernandes

Lic. em Nutrição e Engª Alimentar / Terapeuta / Autor

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

four × five =