Se pensa que praticar yoga significa levantar-se todos os dias às 4h da manhã, comer apenas legumes e arroz, e passar a maior parte do dia sentado na posição de lótus, murmurando ‘om’, então pense de novo. (No entanto, quando praticar há tempo suficiente, poderá vir a sentir que ficar na posição de lótus durante algum tempo pode ser bastante recompensador. Mas também aprenderá que as posturas praticadas não são o princípio e o fim de tudo aquilo que fazemos).

Encontrar o equilíbrio

Como yogis, procuramos simplesmente o equilíbrio – do corpo, mente e alma. Repare na palavra ‘procuramos’, que significa que nos esforçamos e desejamos continuamente o equilíbrio. O equilíbrio não é algo que aparece um dia de repente e vem para ficar; é o resultado da criação de momentos de concentração e de gratidão ao longo do dia. É por isso que se diz que é uma prática – porque nunca acaba.

Não tem de mudar nada na sua vida para começar a praticar yoga. Integrar o yoga na sua vida não significa que precisa de mudar tudo no seu dia a dia. Podemos ser yogis e continuar a gostar de acompanhar a refeição com vinho. Podemos praticar yoga e ter um emprego numa grande empresa. Podemos fazer yoga e, num dia muito ocupado, esquecermo-nos de reciclar o lixo. A definição de um verdadeiro yogi não é aquele que cumprimenta toda a gente com um sorriso e uma vénia, mas antes aquele que segue a corrente da vida e recebe cada momento como ele se lhe apresenta. Um verdadeiro yogi tem altos e baixos como qualquer um. Um verdadeiro yogi dá o seu melhor para cumprimentar toda a gente com um sorriso, sim, mas um verdadeiro yogi também compreende a montanha-russa que a vida é, e deixa as suas emoções virem ao de cima quando é preciso. O verdadeito yogi é simplesmente aquele que vive bem, ao fazer o melhor que pode com aquilo que tem. Dentro ou fora do tapete de yoga.

O equilíbrio é fundamental em tudo o que fazemos. Por isso, dance toda a noite e pratique yoga no dia seguinte. Beba vinho, mas não se esqueça do seu sumo verde. Coma chocolate quando o seu coração pede e salada quando o seu corpo precisa. Use saltos altos no sábado e ande descalça ao domingo. Faça compras no centro comercial e depois sente-se no seu quarto e medite. Viva depressa e devagar. Mova-se e pare. Aceite todas as partes do seu ser e viva a sua verdade autêntica! Seja corajoso e ousado, espontâneo e extrovertido, e deixe que isso complemente a sua capacidade para encontrar silêncio e paciência, modéstia e paz. Procure o equilíbrio. Defina as suas próprias regras e não deixe que outros lhe digam para viver de acordo com as regras deles.

O yoga torna-nos fortes e flexíveis

Quando começar, lembre-se de que somos todos diferentes, com diferentes passados, corpos e circunstâncias. Deve começar a partir de onde está. Concentre-se no que está a acontecer com o seu corpo e mantenha-se tão atento quanto possível enquanto pratica. Seja paciente.

Quando a mente começar a interferir – «Eu devia estar a fazer isto melhor; A pessoa ao meu lado é muito mais flexível do que eu; Não tenho jeito para isto» (todos estes pensamentos são muito comuns quando se começa) – faça apenas um esforço para se concentrar de novo na respiração. Comece onde está. Use o que tem. Concentre-se na prática e tente não pensar no resultado final.

Com o tempo, notará mudanças no corpo, na mente e na respiração. O yoga torna-nos fortes e flexíveis. O yoga cria espaço onde dantes nos sentíamos atulhados. O yoga cultiva uma mente calma e inspira concentração. O yoga ajuda a respiração a tornar-se mais profunda. O yoga é um espaço em que, com a prática, podemos tornar-nos mais presentes no nosso dia a dia. E quanto mais longe formos na nossa prática, mais natural se tornará transportar o yoga do tapete em que praticamos para o resto da nossa vida.

Aprenda a ouvir o seu corpo

Não é preciso alterar os seus hábitos para ter espaço para a prática do yoga. Comece a praticar a partir do ponto onde está hoje e deixe que a prática o altere. Quanto mais frequentemente usar o tapete, sozinho ou em aula, mais fácil se tornará tomar decisões saudáveis durante o resto do seu dia. Quando ouvir mais o seu corpo, verá que não é assim tão difícil comer saudavelmente. Tendo consciência do seu corpo, será mais fácil manter-se afastado do açúcar ou do álcool, ou de qualquer outra coisa que esteja a tentar retirar da sua alimentação. Ou então, talvez perceba que aquilo que come está bem assim e que não há razão para obsessões! O que interessa é que se tornará mais consciente de como o seu corpo se sente e do quanto é sensível a tudo aquilo que lhe fornece. Quando vivemos mais o corpo e menos a mente, aquelas escolhas que antes pareciam tão complicadas, afinal, tornam-se mais fáceis de fazer.

Crie um momento de paz ao acordar

Se decidir fazer do yoga uma parte da sua vida, porque não começar já? Pense na primeira coisa que costuma fazer quando acorda de manhã. Consulta o e-mail? Bebe café? Liga a televisão? Para conferir o tom para um dia pacífico, tente criar um momento de paz assim que acorda. Gosto de começar o meu dia com um copo de água quente com limão. Põe o organismo em funcionamento e também é bom para o aparelho digestivo. É igualmente ótimo para o metabolismo e é fantástico para a pele! Quando já estamos habituados à nossa prática de yoga, sabemos o que fazer; tem tudo a ver com seguirmos a respiração e trabalharmos aquilo de que o corpo precisa naquele momento. Se sente as ancas presas, concentre-se nelas. Ombros doridos? Faça deles o centro da prática da manhã. Pode sentir um pouco de frio e rigidez quando sai da cama, pelo que uma boa ideia é começar sempre a prática com uma sequência que traga calor ao corpo. Depois de aquecer, o corpo responderá com mais facilidade.

(Excerto retirado do livro Yoga Girl – Como o Yoga Pode Mudar a Sua vida – Nascente)

 

Por Rachel Brathen

Instrutora de Yoga

Autora do livro Yoga Girl – Como o Yoga Pode Mudar a Sua vida (Nascente)

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × five =