Num processo de mudança, há quem diga que existem dois tipos de dor: a dor da disciplina e a dor do arrependimento.

A dor da disciplina dói, mas compensa. No entanto, do arrependimento sabe-se que a dor é terrível. Quantos de nós já se arrependeram por algo que fizeram? Ou, então, por algo que não fizeram e podiam ter feito?

É humano errar. Ser humano sem errar é um assunto do qual não tenho muito à-vontade para me expandir, por dois motivos:

  1. Não conheço ninguém que nunca tenha errado;
  2. Eu próprio já cometi muitos erros.

Errar permite-nos aprender. Mas, demasiadas vezes, ficamos presos nos erros através do arrependimento e isso provoca-nos o medo de tentar de novo.

O perdão

Contudo, quem é que se lembra de se pedir desculpa a si próprio e depois ter a capacidade de se perdoar? Muitas vezes, estamos tão preocupados em pedir perdão aos outros pelos nossos atos que esquecemos e anulamo-nos a nós mesmos, como se fôssemos a parte menos importante ou inexistente da equação. E isso vai acumulando, acumulando, acumulando cá dentro e o tempo passa… as experiências somam-se… as pessoas vão-nos perdoando e nós vamos definhando. Começamos a achar estranho quando o perdão que vem do outro parece fazer-nos mais mal do que bem. E não compreendemos porquê! Não entendemos como é que o nosso peso interior aumenta quando lá fora todos parecem estar em equilíbrio e harmonia! Isto acontece porque ainda não pedimos desculpa, não pedimos perdão ou não nos perdoámos a nós mesmos. Pode parecer ridículo, mas não é! De facto, este diálogo interior é, extraordinariamente, importante, porque, de certo modo, necessitamos de saber que nós mesmos admitimos e aceitámos que nos perdoámos.

Liberte-se do sofrimento

A parte que está dentro de nós e que agiu mal precisa de saber que nós a perdoamos. Precisa de saber que temos conhecimento de que ela fez o melhor que podia e sabia naquele momento. Só assim é que ela poderá libertar-se do sofrimento e fazer melhor das próximas vezes. E ela libertar-se significa nós conseguirmos andar em frente, pois damo-nos a permissão de encarar o erro como uma oportunidade de mudança e progressão, em vez de ficarmos limitados e presos no tempo. Muitas pessoas amontoam no seu interior experiências desagradáveis e muito pouco autoperdão. E quando isso sucede, a hipnose clínica, através de uma abordagem psicoterapêutica específica, pode dar um extraordinário contributo para libertar todas essas mágoas e integrar de uma forma harmoniosa todas as partes que contemos dentro de nós. Ao integrarmos as partes, sentimo-nos finalmente livres. Por isso, da próxima vez que ocorrer algum acontecimento menos agradável na sua vida, algo que o tenha feito sentir que de alguma forma falhou ou que podia ter feito melhor e talvez até tenha desapontado algumas pessoas, lembre-se de se perdoar. Não interessa saber o poderoso efeito que isso irá ter em si, apenas experimente!

Exercício

Pode olhar-se ao espelho, enroscar-se na cama à noite ou fechar os olhos e imaginar, à sua maneira, que tem diante de si aquela parte sua que cometeu o suposto erro. Irá reparar que, provavelmente, ela tem uma postura curvada, talvez os olhos cabisbaixos, algumas lágrimas poderão estar a cair do seu rosto e poderá mesmo estar aborrecido ou chateado. Nesse momento criativo de olhos fechados, imagine-se a dar um abraço a essa sua parte e diga-lhe: «Está tudo bem (nome). Eu compreendo-te. Eu sei que cometeste um erro, mas está tudo bem. Eu perdoo-te e esse perdão irá ajudar-te a fazeres melhor da próxima vez.» E, usando a sua imaginação, acarinhe essa sua parte, elogiando-a e fortalecendo-a; e veja as lágrimas a secar, os olhos a erguerem-se, a postura a endireitar-se e sinta uma nova força a emergir dentro de si.

E em modo de conclusão, quer saber um segredo? Mas, por favor, não conte a poucas pessoas; espalhe por todos quantos conhece: o verdadeiro truque é AÇÃO. Aja! Não fique pelos pensamentos e faça alguma coisa com esse novo bem-estar que apareceu.

Viva com Paixão! Viva bem!

 

Por Adolfo Carvalho

Professor, licenciado em Educação e Hipnoterapeuta

Especializado em Hipnose Médica, Hipnoanálise e Hipnose no Desenvolvimento Pessoal

Clínica Dr. Alberto Lopes

geral@hipnoseeregressao.com / 225 028 162 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × 1 =