Rita Rocha de Macedo é licenciada em Ciências da Nutrição pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz. Atualmente, dá consultas em Cascais e no Estoril e, recentemente, publicou o livro A Dieta Prática, uma dieta eficaz, fácil, simples e planeada dia a dia para que consigamos perder peso sem perder a cabeça. A nutricionista falou connosco a propósito do livro e explicou como simples mudanças de hábitos alimentares podem contribuir para uma vida e um corpo mais saudável.

Qual a melhor forma para seguirmos um regime alimentar fácil, variado e equilibrado?

Para perder peso, em primeiro lugar, a pessoa tem de estar mentalizada e preparada para tal, tem que ter vontade. O primeiro passo tem que ser dado pela própria pessoa. No meu livro, A Dieta Prática, dou algumas recomendações importantes, como por exemplo, o de estabelecer um objetivo realista de peso a atingir e uma data para esse mesmo objetivo, limpar a despensa e frigorífico e livrar-se de tentações alimentares, ir às compras após uma refeição, entre outras. A melhor forma para se seguir um regime alimentar fácil, variado e equilibrado, passa por um bom planeamento, uma boa organização das semanas e isso poderá encontrar no meu livro. A única coisa que uma pessoa precisa de ter para iniciar esta dieta é vontade.

E como manter esta força de vontade?

Existem realmente fatores muito desincentivadores para quem faz dieta e que levam, muitas vezes, ao abandono da dieta, um deles é a falta de um incentivo externo, de algumas palavras de confiança ditas nos momentos mais complicados (que existem), daí sugerir no meu livro um diet buddy, um companheiro de dieta, um familiar, um amigo, um colega de trabalho, crie um grupo no WhatsApp, partilhe as fotos das suas refeições e tudo será mais fácil. Outro fator é a vida já atarefada e complicada das pessoas e o meu livro contempla 4 semanas planeadas dia a dia, com listas de compras e dicas para manter a força de vontade, o que facilita bastante.

Como se faz esta dieta e qual é a sua vantagem?

Esta é uma dieta que pode fazer através do livro A Dieta Prática, sozinho, acompanhado ou em grupos privados no Facebook. Para entrar num desses grupos basta aceder à página de Facebook Dieta da Crise / A Dieta Prática. Todos os meses divulgo a abertura de vagas (atenção para conseguir garantir um bom acompanhamento, as vagas são limitadas), cerca de uma semana antes de iniciar a dieta, normalmente a dieta começa na primeira segunda-feira de cada mês. São várias as vantagens desta dieta, entre elas, como já referi, é a companhia. Está provado que as pessoas que fazem dieta por sua conta tendem a perder muito menos peso do que aquelas que têm um companheiro de dieta ou aderem a um grupo, que chegam a perder o dobro dos quilos. Outras vantagens, o acompanhamento próximo, fácil e prático por uma nutricionista, através da rede social, em que a qualquer instante a sua dúvida é esclarecida, havendo uma vertente motivacional muito forte, pois a dieta em grupo tem mais resultados do que se for feita por conta própria, entre outras.

A dieta está feita para 28 dias, 4 semanas. Em que consiste a dieta?

Nas três primeiras semanas há uma redução na ingestão de hidratos de carbono, essencialmente os que apresentam um índice glicémico elevado (açúcares simples: pão branco, arroz e massas brancas, bolos, refrigerantes, etc.), pois estes alimentos provocam subidas e descidas bruscas de açúcar no sangue, fazendo com que fique rapidamente com fome. Por outro lado, não há restrição de vegetais, que contendo hidratos de carbono, possuem um índice glicémico mais baixo (ricos em fibra), provocam subidas e descidas de açúcar no sangue mais lentas e estáveis, alimentos que saciam por mais tempo, ou seja, o consumo de sopa é muito importante nesta dieta. Esta é uma dieta rica em proteína, em fibra e em gordura vegetal, e pobre em hidratos de carbono, ainda assim, esta dieta não corta totalmente nos hidratos de carbono ao longo do dia, permite, por exemplo, o pão ao pequeno-almoço, cereais, como a aveia, fruta, entre outros alimentos em quantidade limitada, tornando os lanches mais variados, muito importante para quem faz dieta.

«O livro A Dieta Prática contempla um plano para 28 dias, um regime fácil, com listas de compras e receitas de elaboração fácil, todas elas testadas»

Há algum plano para depois dos 28 dias?

Sim, há! Dependendo da pessoa já ter ou não atingido o seu objetivo e está contemplado também no livro! Deverá passar a comer um pouco de tudo, não exagerando em nenhum tipo de alimento, mantendo os mesmos hábitos, comer em pouca quantidade, várias vezes ao dia. Variar ao máximo. E se cometer um ‘deslize’, compensar sempre, por exemplo, com o exercício físico.

A mais ocupada das pessoas conseguirá cumprir os 28 dias desta dieta?

Exatamente! O livro A Dieta Prática contempla um plano para 28 dias, um regime fácil, com listas de compras e receitas de elaboração fácil, todas elas testadas, além de várias dicas para manter a força de vontade, fundamental para quem pretende perder peso. Neste livro, ainda poderá encontrar incentivo para beber água e fazer exercício físico. Melhor ainda, este livro foi pensado para facilitar a vida das pessoas, pois poderão descarregar no meu blogue A Dieta Prática, as listas de compras, bem como o registo diário de água e o registo semanal de exercício. A mais ocupada das pessoas conseguirá cumprir esta dieta, só precisa de ter vontade, que o restante encontrará no livro.

A Dieta Prática está testada e a sua eficácia comprovada. É o desenvolvimento da Dieta da Crise, que partilha numa página de Facebook, e através da qual centenas de pessoas já perderam peso. Muitas dão o seu testemunho neste livro. Pode partilhar connosco alguns desses testemunhos?

São vários os testemunhos mas, por exemplo, posso referir o da Filipa Lebre, em que refere: “Consegui ajustar as refeições à família (marido e três filhos)”. A Ana Rita Nascimento refere: “A principal ajuda foi ter alguém que não me criticasse quando fazia errado, mas, antes, me incentivasse a continuar e a acreditar que era possível”. A Patrícia Mello Breyner refere: “Termos tido um grupo de apoio foi muito importante para chegar a bom porto”.

«Aproveito as alturas de promoções para comprar os alimentos que são um pouco mais caros, mas que são bons»

Hoje em dia, é importantíssimo aprender a selecionar alimentos que, além de benéficos para a saúde, são financeiramente acessíveis. Que conselhos e orientações práticas, simples e económicas quer partilhar com os nossos leitores?

Os conselhos que poderei dar, são aqueles que ponho em prática, aquilo que faço para mim e em minha casa. Estou sempre a par das promoções dos supermercados e aproveito as alturas de promoções para comprar os alimentos que são um pouco mais caros, mas que são bons, considerados saudáveis para incluir na nossa alimentação. Na minha página de Facebook Dieta da Crise / A Dieta Prática, nas minhas publicações de receitas, poderá ver alguns alimentos em promoção e onde os encontrar.

Está também comprovado que seguir um plano de emagrecimento acompanhado aumenta as hipóteses de sucesso. Qual é a sua opinião?

Ter companhia na dieta, vai ter com quem partilhar os seus sucessos (e os reveses também), com quem desabafar, que é fundamental. É o que acontece com o exercício físico, quando vamos ao ginásio com companhia, vamos mais motivados, estamos mais comprometidos. Nos meus grupos de dieta, as pessoas sentem-se muito mais motivadas ao lutarem pelo mesmo objetivo comum. As pessoas têm tido resultados excelentes nos grupos. Está provado que as pessoas que fazem dieta por sua conta tendem a perder muito menos peso do que aquelas que têm um companheiro de dieta ou aderem a um grupo, que chegam a perder o dobro dos quilos. Ou seja, a vertente motivacional é muito forte.

Acredita que, quando se quer muito, se consegue. Perder peso é sempre possível?

Na maior parte dos casos, é sempre possível!

Após atingirmos o peso ideal, é fácil mantermos as mesmas medidas?

É fácil! Mas, uma pessoa tem de continuar a ter cuidados com a alimentação, pois esses cuidados teremos que os ter para o resto da vida; não quer dizer que não se cometam alguns ‘deslizes’ na alimentação, faz parte, eu própria, venho de uma família grande, em que há sempre muitas festas, almoços, jantares… mas temos de saber dosear esses ‘deslizes’ e saber compensá-los, como por exemplo, se for um deslize ao almoço, então, nesse dia, talvez possamos compensar com um jantar mais leve ou compensar mesmo com exercício físico.

«Ir ao supermercado depois de uma refeição, ir de estômago cheio, será muito mais fácil resistir a tentações»

A rotulagem nutricional dos géneros alimentares é essencial, uma vez que permite aos consumidores fazerem escolhas alimentares mais saudáveis e adaptadas às suas necessidades individuais. Qual é a sua recomendação para estarmos aptos a analisar um rótulo nutricional?

São fundamentais vários aspetos num rótulo, no entanto, nas escolhas alimentares mais saudáveis, posso salientar alguns como, saber que a lista de ingredientes inicia-se pelos ingredientes presentes em maior quantidade no alimento para o de menor quantidade, verificar o teor em açúcares e, atenção que, muitas vezes, o açúcar aparece com outro nome, como sacarose, glicose, maltose, frutose, dextrose, xarope, etc., estar também atento ao teor em gorduras saturadas, sal e, claro, aos ‘E’. Esteja também atento a alguns produtos que referem, por exemplo, ‘ricos em fibra’, como aparece em muitas embalagens de cereais, mas atenção que também são ricos em açúcares. Existem valores para se poder guiar em termos de limite de açúcares, gorduras ou sal num determinado alimento. Pode ser complicado lembrar-se no supermercado mas, em caso de dúvida, compare sempre com outro alimento da ‘mesma família’.

Resistir à gula e ao impulso consumista quando se vai ao supermercado não é tarefa fácil… Que estratégia podemos usar para nos afastarmos de algumas ‘tentações’?

Ir ao supermercado depois de uma refeição, ir de estômago cheio e, se possível, não levar as crianças, será muito mais fácil resistir a tentações.

«Aconselho a planear a sua semana em termos de refeições, deve até mesmo planear quando vai ao supermercado»

Como devemos elaborar a nossa lista de supermercado?

Como tudo passa por uma boa gestão, aconselho a planear a sua semana em termos de refeições, deve até mesmo planear quando vai ao supermercado, elabore a sua lista consoante as refeições planeadas, verifique o que já tem em casa e pode sempre consultar as promoções da semana! E recomendo mesmo ir apenas ao supermercado com a lista feita! Faça por corredores do supermercado onde costuma comprar. Comece pela mercearia, depois os frescos e, no final, os congelados. No meu livro, já terá as listas de compras.

Quais os principais conselhos, relativos à alimentação, para as crianças?

Se tem crianças em casa, elas também não precisam de bolachas, nem de batatas fritas, refrigerantes ou doces. Esse tipo de alimentos devem ser de consumo esporádico, por isso, não tenha esse tipo de alimentos em casa. Evite, principalmente, as gorduras, os açúcares e o sal. Aumentar o consumo de frutas e vegetais (mantenha o hábito que elas têm desde pequenas, da sopa à refeições), é fundamental. Em alternativa aos cereais de compra, comece a incluir um pouco de aveia na alimentação delas, vai ver que passam a gostar.

Para finalizar, gostaria de dar-lhe os parabéns pelo extraordinário livro. É prático e tem dicas muito úteis. Gostaria de deixar uma mensagem a todas as pessoas que se preocupam com uma dieta saudável e equilibrada e também para aqueles que querem começar a perder peso?

Adotem hábitos saudáveis e não desistam! Arranjem companhia para perder peso! (sorriso)

 

Créditos:

Foto da entrevistada: Sérgio Garcia – Your Image

 

Por Tânia Martins

Jornalista

Editora HealthAdvisor

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 + 20 =