Imagine-se sentado neste banco a conversar com alguém.

Quem escolheria? O que lhe diria?

«Acho que aproveitava para rever e matar saudades do meu avô! Fico com os olhos marejados só de pensar na possibilidade! Depois de um bom abraço, de mãos dadas, quereria saber da vida dele, o que tinha para me contar e falaria de mim, dos meus filhos, da vida, das dúvidas… entre abraços e sorrisos, ficaria noite! Que sensação apaziguadora.» Maria, 43 anos

«Com o meu pai (que já faleceu). Diria que estou muito grato por ter sido um pai com uma grande parentalidade humana e intuitiva. E diria que ele me inspira em muitas das minhas atitudes.» José, 36 anos

«Escolheria Espinosa, para questioná-lo sobre as suas teorias sobre o Universo!» Sónia, 44 anos

«Se eu pudesse escolher, escolheria o meu pai. Dizia-lhe o que nunca tive oportunidade de dizer. Que o admirava muito. Que o amava e amo muito. Que ainda hoje, e depois de 14 anos da sua morte, ele vive diariamente comigo, com os meus filhos e sempre com a minha mãe. Dizia-lhe que preciso dele, que me faz falta, que foi um herói.

Não sei se posso escolher mais um, mas também gostava de escolher o meu anjo e agradecer-lhe. Agradecia a bênção de estar viva, de ter a vida que tenho, de tudo o que me rodeia e agradecia ter-te conhecido.» Alexandra, 44 anos

«Neste momento e agora sentar-me-ia comigo e o que me diria era: Estou aqui. Fala. Cala. Aproveita a Natureza. Dá-te o que precisas.» Andreia, 40 anos

«Escolhia a minha filha e falaríamos da existência, da vida!» Albano, 71 anos

«Queria falar com Camões para saber da sua experiência da vida.» Manuel, 7 anos

«Seria um amigo e dir-lhe-ia que adoro a energia que o mar me transmite, por isso só poderia estar ali sentada com alguém que me transmitisse essa mesma energia.» Gisela, 39 anos

«Se pudesse escolher qualquer pessoa, escolheria o meu avó. Meu anjo da guarda. Gostaria de saber a opinião dele sobre a vida moderna!» Margarida, 39 anos

«Escolheria a Margarida e falaríamos sobre Natureza e sentimentos. Também gostaria de falar com o Papa sobre a fé e como interagir no acompanhamento de doentes oncológicos.» Jorge, 60 anos

«Queria falar com ‘Deus’ e perguntar lhe se a próxima vida, se existir, será diferente? O que fiz nesta vida de mal para ser rejeitada? Qual a minha missão, o meu propósito, que não consigo perceber.» Márcia, 37 anos

«Quando vi a imagem, tive vontade de estar ali com uma amiga ou com a minha mãe a falar de assuntos relacionados com o autoconhecimento, espiritualidade, práticas ancestrais, mudanças de paradigmas no mundo novo que está a nascer.» Anna, 40 anos

O momento e a unicidade de cada um de nós leva-nos a um amplo leque de aspirações, desejos, vivências! É esta a maravilha de ser humano.

 

Por Margarida Seco de Oliveira

Psicóloga Clínica, Psiconeuroacupunctora, Docente do Instituto de Psiconeuroacupunctura

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

eleven − one =