Não existe ninguém que nunca tenha ouvido falar de almas gémeas e todos sonham em encontrar a sua cara-metade, o amor perfeito. Fazem essa busca incessante, viajando nas brumas do tempo por várias vidas, épocas e lugares.

Muitos acreditam que o conceito de almas gémeas vem da espiritualidade, no entanto, já é uma ideia antiga, cujas primeiras histórias descritas remontam a Platão e até à Bíblia Sagrada. Platão, no seu livro O Banquete, repleto de observações sobre o amor, fala sobre almas gémeas. Conta esta lenda que, nessa altura, os seres humanos tinham duas cabeças, quatro braços e quatro pernas e desafiaram os deuses do Olimpo. Zeus resolveu castigá-los, dividindo a meio cada ser humano e, a partir daí, o ser humano busca constantemente a sua metade para o completar. A Bíblia Sagrada, refere que: «No princípio Deus criou o céu e depois a terra», primeiro surgiu a energia e depois o corpo.

Adão e Eva, uma história que todos nós ouvimos falar, onde Deus fez o homem cair num sono pesado e de uma das suas costelas ele fez a mulher. Adão sugere a igualdade «ela é osso dos meus ossos, carne da minha carne». Assim, todo o homem busca aquela parte de si que o completa, a metade feita da sua costela.

Mais tarde, na teoria da relatividade, Einstein considera que o Universo é um plano de espaço e tempo onde a energia gera a matéria.

Um amor puro e genuíno

Independentemente da crença de cada um, o que existe em comum em todas estas teorias é que existe algo além do nosso corpo físico, aquilo que alguns gostam de chamar alma, outros, espírito ou energia. Essa parte nossa não visível, intemporal, busca a sua semelhante, a parte que vai completá-la e fazer feliz. O amor entre almas gémeas é puro e genuíno. Estas almas já se escolheram antes de viverem esta vida terrena e amam-se incondicionalmente da forma que são. Não existe beleza maior que a beleza da alma. Quando as almas gémeas se encontram e se aceitam, da forma que se escolheram antes de tomarem conta do corpo físico, não haverá limites para a concretização dos seus sonhos. Apesar de aparentemente não se conhecerem antes, a afinidade entre ambas é enorme. Como se fossem um livro aberto, um corpo transparente sem receio de nada escolher e uma vontade enorme de tudo partilhar. É uma sensação maravilhosa de paz, tranquilidade e de bem-estar que toma conta de cada alma.

Apesar destas maravilhosas sensações que tomam conta das almas gémeas, o seu encontro, muitas vezes, vem acompanhado de problemas e conflitos. Isto porque nem sempre têm a mesma idade cronológica, a mesma raça ou a mesma cultura e estes entraves podem impedir o almejo da pura felicidade. Mas, na minha opinião, quando estas almas se encontram não existe nada nem ninguém que lhes possa roubar o brilho e, juntas, acredito e sei, que poderão chegar à plenitude, ao sucesso e ao felizes para sempre.

O desafio pode ser grande, mas não existe o que possa separar o amor que une estes dois seres. A atração entre estas almas é como se fosse um íman forte que puxa ambas as partes, de modo a se juntarem. É inevitável. Uma vez juntas, crescem exponencialmente. As suas vidas mudam rapidamente e as suas energias entrelaçam-se como se fossem uma só.

«Estejam onde estiverem, falem a língua que falarem, tenham a cor que tiverem, duas almas gémeas seguem para um ponto de encontro.» (Carlos Cesar Biancchi)

Tive o privilégio, nesta caminhada maravilhosa chamada vida, de encontrar a minha alma gémea e conhecer a felicidade pura e inesgotável dia a dia ao seu lado. Realmente, almas gémeas, um amor único, inquebrável e intemporal.

Dedico este artigo a esse ser especial A. L.

 

Por Cátia Costa

Hipnoterapeuta

Clínica Dr. Alberto Lopes

geral@hipnoseeregressao.com / 225 028 162 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 + 15 =