Na escola, ao estudarmos o sistema solar, aprendemos que o Sol está no centro da galáxia e os planetas (Mercúrio, Vénus, Terra, etc.), fazem órbitas em torno do Sol. Numa órbita maior, exterior às órbitas dos planetas, temos os grupos de constelações (estrelas), a que o Homem chamou de signos. O nome de cada signo resulta da forma como as estrelas estão agrupadas/organizadas na constelação, dando a ideia de representarem: um carneiro, uma balança, etc.

O nosso signo 

É determinado pelo alinhamento do Sol, em relação a um determinado signo, no momento do nosso nascimento! Ou seja, ao nascermos, o Sol está alinhado com uma determinada constelação (grupo de estrelas) e é esse grupo de estrelas/signo, que vai definir como se chama o nosso signo solar. Por vezes, acontece identificarmo-nos com o nosso signo, revemo-nos nas suas características. Isto acontece quando, ao nascermos para além do Sol existirem outras energias (planetas), também alinhadas com essa energia. Por exemplo, se somos do signo solar sagitário e ao nascermos para além do Sol, também havia um ou mais planetas nesse alinhamento (de sagitário), é natural que essa energia seja conhecida para nós… já a usamos de diversas formas. Como tal, temos uma identificação maior com ela, é nossa conhecida!

Outras vezes, porém, podemos sentir que não nos identificamos com as características do nosso signo solar. Isto, normalmente, acontece quando apenas o Sol se encontrava alinhado com a energia que representa o nosso signo. Por exemplo, termos apenas o Sol alinhado com a energia de Touro e lá não termos mais nenhum planeta. Pode acontecer que não nos identifiquemos muito com as características desta energia, neste caso, as características de Touro.

Por isso mesmo, é muito injusto rotularmos uma pessoa apenas de acordo com o seu signo. Já ouvimos diversas vezes afirmações do género: «Quem é do signo de Escorpião é isto e aquilo. Quem é do signo de Gémeos é assim e assado, etc.». Nada mais errado! Nós somos um somatório de energias, ou seja, de características, cada um tem o seu mapa próprio e o facto de sermos de um determinado signo, apenas quer dizer que no momento do nosso nascimento, o Sol se encontrava na direção de uma determinada constelação, ou seja, signo. Mas, a posição de todas as outras energias (planetas) é diferente para os indivíduos de um mesmo signo. Por exemplo, duas pessoas do signo de Touro podem ter mapas completamente diferentes/opostos, ou seja, podem ter características muito diferentes uma da outra, tendo apenas em comum a energia de Touro. Costumo dizer que num mapa natal existem 3 grandes linhas de base/orientação (constituídas por dois objetivos fundamentais e uma ajuda para concretizá-los).

  1. Equilibrar a energia do nosso signo solar.
  2. Agir no sentido do nosso eixo de evolução, ou seja, dos Nodos Lunares.

A ajuda principal vem do nosso Asc (ascendente), que nos fala sobre uma energia, a usar diariamente de forma a conciliar tudo isto. Agora, vamos concentrar a nossa atenção nesse objetivo maior, que é equilibrar a energia do nosso signo solar!

A astrologia é uma linguagem simbólica

O nosso signo é representado no mapa natal pela posição do Sol na altura do nosso nascimento. O Sol fala do Eu, da nossa alma, das nossas características de personalidade. Cada signo veio com uma missão definida.

Carneiro

Eu sou aquilo a que dou início, conquisto e lidero.

Valoriza-se na procura da sua identidade.

Touro

Eu sou o que semeio, agarro e controlo.

Procura receber resultados físicos do seu trabalho.

Gémeos

Eu sou o que vejo, penso e divulgo.

Age à procura de comunicar/socializar, passar informação.

Caranguejo

Eu sou as minhas emoções, a família, a forma como me nutro.

Age à procura de relacionamento emocional.

Leão

Eu sou o centro de mim, o aplauso, o Sol.

Valoriza-se na busca da sua alma.

Virgem

Eu sou o que consigo analisar, organizar e também prestar serviço.

Procura a organização racional e adaptação do que ele procura com resultados.

Balança

Eu sou o equilíbrio, a imparcialidade que o outro vê em mim.

Age à procura de desenvolver as relações, valorizando o intelecto.

Escorpião

Eu sou o desejo, a profundidade, mas também a transformação.

Age à procura de relacionar-se com as pessoas, morrendo e renascendo nessa busca.

Sagitário

Eu sou o conhecimento daquilo em que acredito, a fé, o espírito.

Valoriza-se na procura do conhecimento sustentado, aprendendo cada vez mais.

Capricórnio

Eu sou aquilo que construo, as instituições, o mestre.

Age à procura de edificar, ascender ao poder, o que lhe dá realização material.

Aquário

Eu sou a individualidade no grupo, o que transmito ao Universo.

Age à procura de desenvolver o intelecto social, participando no grupo.

Peixes

Eu sou o que sinto além das emoções, o todo, o amor incondicional.

Aprender a adaptar-se no meio em que ele sofre, ultrapassando limitações.

 

O propósito de uma encarnação

Consiste em fazer com que, ao longo da nossa vida, nós saibamos utilizar as características do nosso signo, agindo de forma equilibrada. Costumo dizer que os signos têm características no 8 e no 80! Conforme o grau de evolução de uma pessoa, ela pode assumir características do seu signo muito díspares. Por exemplo, uma pessoa do signo de Sagitário pode ser muito ligada à fé e à espiritualidade e outra, do mesmo signo, pode viver de acordo com o risco, o jogo e a aventura. Ou, ainda, a pessoa pode, ao longo da sua vida, passar por estes dois registos. Isto decorre da forma como a pessoa já usou esta energia, bem como de outras condicionantes do mapa! O mapa natal, no seu conjunto, vai mostrar de que forma, nesta vida, esta energia (do exemplo que dei), deve ser orientada! Como o propósito da encarnação é equilibrarmos a energia do nosso signo, é de extrema importância percebermos bem o nosso mapa natal. As energias que ele representa, a forma como as trazemos, as competências que já adquirimos e nos podem ajudar, bem como, a posição atual dos planetas (trânsitos), que definem, em cada momento, de que forma devemos evoluir. Os trânsitos são a nossa bússola e, ao mesmo tempo, uma espécie de cobradores kármicos. Uma espécie de sistema GPS, que nos orienta no sentido de uma vida com um sentido maior, um crescimento mais evolutivo. Quando damos a devida importância ao nosso mapa natal, temos sempre em mente quais as nossas maiores dificuldades (‘calcanhar de Aquiles’) mas, também sabemos quais os nossos pontos de segurança. As energias que trazemos, as mais trabalhadas e que nos podem ajudar! Por outro lado, passamos a perceber melhor por que razão temos incompatibilidades, quer seja nas diferentes áreas de vida, quer seja em situações e acontecimentos repetitivos, desafiantes e, até mesmo, responsáveis por fracassos e dores!

O seu mapa é um confiável GPS! A vida é feita de sincronicidades. Nada é por acaso e o seu mapa descodifica tudo isso. Acredite!

 

Por Ângela Barbosa da Costa

Hipnoterapeuta / Consultas de Hipnose Clínica e Astrologia Kármica

www.nossomosalma.com 

www.youtube.com/channel/UCjGW8v13xmhZc53Ahi0p3IQ

www.facebook.com/SomosAlma / www.facebook.com/escritadoceu

aescritadoceu@gmail.com nossomosalma@gmail.com 

913 067 783 / 936 463 829  / 963 538 658

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

eighteen − 15 =