O excesso de peso associado a inúmeras doenças e limitações físicas tem sido um dos temas que mais tem preocupado os especialistas na área da saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que em 2030, 27% dos homens e 26% das mulheres sejam obesos e que a médio prazo 30% a 50% das crianças se tornem obesas na idade adulta. Estes números são alarmantes e deixam-nos apreensivos. O que estará na causa deste aumento de peso entre a população mundial e, sobretudo, entre a nossa população?

Especialistas defendem que uma má alimentação, associada ao sedentarismo, falta de exercício físico e ao stress do dia a dia são o cocktail explosivo para o excesso de peso. Muito há a ser feito nesta matéria, no entanto, irei debruçar-me sobre a parte emocional, componente fundamental para o controlo da nossa alimentação. Como poderemos ter um corpo ‘magro’, saudável sem ‘emagrecermos’ a nossa mente?

A compulsão alimentar

Muitos indivíduos com excesso de peso sofrem de compulsão alimentar. Esta caracteriza-se por episódios em que há perda do controlo na quantidade de comida que se ingere, pelo menos, dois dias por semana, durante seis meses e não são seguidos de tentativas para perder peso. Na altura dos excessos da ingestão alimentar existe um alívio provisório, no entanto, seguem-se depois sentimentos como angústia, culpa e vergonha.

As pessoas com distúrbio de compulsão alimentar já tentaram várias dietas que fracassaram. Normalmente apresentam excesso de peso e possuem uma baixa autoestima, preocupando-se com o aspeto físico e com o peso mais do que o normal. A ansiedade, o vazio e a falta de amor-próprio são os principais fatores emocionais que levam ao aparecimento das compulsões alimentares, aumentando no organismo o nível de cortisol, que estimula a ingestão exagerada de alimentos e, consequentemente, um aumento do peso.

O acompanhamento nutricional é fundamental para que as pessoas com compulsão alimentar possam promover hábitos mais saudáveis, sem passar fome e alimentando-se bem. Contudo, penso que uma complementaridade entre nutrição e acompanhamento psicológico será o ideal para que esta compulsão seja ultrapassada.

 Sintomas emocionais da compulsão alimentar

  • Desespero para emagrecer e controlar a alimentação;
  • Diminuição da ansiedade quando ingere alimentos;
  • Insatisfação constante, independentemente do que come;
  • Falta de controlo enquanto come;
  • Sentimento de culpa, frustração ou desânimo após a ingestão de grandes quantidades de comida, ou qualidade da comida em si.

Causas da compulsão alimentar

  • Biológicas: metabolismo lento, disfunções hormonais;
  • Sociais e culturais: pressão da sociedade para ser magro;
  • Psicológicas: normalmente depressão e compulsão alimentar andam de mãos dadas. Pessoas deprimidas tendem a comer em maior quantidade, outras comem para compensar o vazio, gerir emoções, diminuir a ansiedade, combater a baixa autoestima e a solidão.

 Como a hipnose pode ajudar a combater a compulsão alimentar?

A hipnose é uma técnica tão antiga como a Humanidade e de grande abrangência clínica. Na área dos transtornos alimentares, como a compulsão alimentar, a hipnoterapia pode ter um papel decisivo para trabalhar a variante psicológica. Assim, a hipnoterapia pode atuar a nível da depressão, descobrir a origem do vazio e inoculá-lo, diminuir a ansiedade e o stress, aumentar a autoestima e reforçar o ego da pessoa, ou seja, ensinar a pessoa a amar-se incondicionalmente.

Uma outra vertente que, aliada ao tratamento da origem psicológica da compulsão alimentar com a hipnoterapia, é a BGV (Banda Gástrica Virtual). Este método permite perder peso de forma rápida sem intervenções cirúrgicas, recorrendo, sim, à reprogramação da mente no estado hipnótico. Esta reprogramação ajuda não só a diminuir substancialmente a quantidade de alimentos que se ingere, mas também a qualidade. Além disso, motiva a prática de exercício físico.

A Clínica Dr. Alberto Lopes dispõem de um tratamento inovador no tratamento da Compulsão Alimentar – a Hipnodieta ­­Mais. Este é um programa que alia o tratamento das causas psicológicas da compulsão alimentar à banda gástrica virtual.

 

Por Cátia Costa

Hipnoterapeuta

Clínica Dr. Alberto Lopes

geral@hipnoseeregressao.com / 225 361 573

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

five − 4 =