Foto: Bernardo Coelho

Simpática, bonita e com um coração cheio de energia. Estas são algumas das qualidades de Tristana Esteves Cardoso. Em entrevista à HealthAdvisor, a gestora de comunicação fala sobre si, sobre o amor que nutre pela família e desvenda-nos alguns dos seus segredos para uma vida mais feliz e em equilíbrio.

 

É apologista de um estilo de vida saudável. Sempre teve cuidado com a alimentação?

Sou apologista, mas não vivo obcecada… confesso! Gosto de comer o que me apetece, faço-o é com contrapeso e medida. Acredito que o que nós comemos afeta-nos e quanto mais equilibrada for a nossa alimentação, mais energia teremos no nosso dia a dia e mais bem-dispostos nos sentimos, mas se me apetecer comer uma tablete de chocolate inteira, como sem problema nenhum e a seguir não me sinto minimamente culpada.

É caso para dizer que um coração cheio de energia, como o seu, é a chave para o bem-estar físico e mental?

É um desafio em primeiro lugar… tenho energia a mais é um facto, e tenho uma certa dificuldade em drená-la no meu dia a dia. Com o nascimento da Francisca descobri, pela primeira vez, que é bom desacelerar também e viver a vida sem a pressa que o dia a dia nos obriga. Estou a descobrir, pegando na pergunta que a chave para o bem-estar físico e mental com um coração cheio de energia é a justa medida entre acelerar e desacelerar quando é preciso. Não conseguimos chegar a tudo e não faz mal. Basta-me neste momento chegar a algumas coisas que são verdadeiramente importantes. Nunca fui uma pessoa que me centrei apenas numa coisa, sempre me centrei em muitas e preciso dessas tantas para me sentir viva e para que a minha vida corra bem, mas quando temos filhos o conceito de ‘tempo’ torna-se diferente e as prioridades também elas se diferenciam. É essencial sentir-me bem comigo e transmitir também aos meus filhos hábitos saudáveis e energia. Quero viver muito tempo para os acompanhar.

«É essencial termos uma vida saudável»

Também é adepta do exercício físico. Segue algum treino específico?

Sou sim! Adoro desporto, nomeadamente desportos radicais e dança! Para os desportos radicais acho que não tenho muito jeito, mas esforço-me. Aprendi a gostar do ginásio com o meu personal trainer que eu adoro, o Carlos Bernardo, de quem eu também sou amiga. É essencial termos uma vida saudável.

Foto: Bernardo Coelho

Que conselhos pode dar às pessoas que não gostam de fazer exercício físico, apesar de saberem da sua importância para uma vida saudável?

Acredito que existe sempre um exercício físico que cada um se identifica mais, o ser humano é feito para se movimentar e não ficar parado. Mexermo-nos é muito benéfico para a nossa saúde, não fiquem no sofá, façam caminhadas, respirem ar puro e olhem para a Natureza que é a maior maravilha do mundo.

É adepta de massagens ou terapias que lhe promovam bem-estar? 

Sou, confesso! Sou embaixadora das Clínicas Bodyscience. É importante fazermos tratamentos de estética nos melhores sítios, têm de ser de confiança! E a Bodyscience é! Temos uma equipa especializada que nos indica o que devemos fazer, sempre com um acompanhamento de nutricionista e técnicas altamente qualificadas. Por vezes, o que achamos que é benéfico para o nosso corpo não é, por isso é que quando queremos fazer tratamentos tem sempre de ser nos sítios mais qualificados. Gosto de cuidar de mim e a Bodyscience tem um leque de tratamentos de rosto e de corpo que nos fazem sentir bem e mais bonitas, mas com a confiança que são seguros. Além dos cuidados com o meu corpo também sou muito ligada ao ‘eu interior’. Acredito que todos temos uma ‘alma’ e que temos de cuidar dela, assim como, temos de cuidar do nosso corpo, está tudo interligado… não tenho terapias espirituais, tenho, sim, as minhas… acabo sempre os meus dias a agradecer pela minha vida… e a vida de quem eu amo.

«A beleza não transparece apenas no espelho, mas sim no que nós construímos no interior e que depois refletimos no exterior»

Não só tem cuidados com a saúde, mas também com a beleza. Quais são os seus truques diários?

Não tenho muitos, confesso! Tenho os normais: um bom desmaquilhante, um bom creme e, para isso, não passo sem os meus cremes da Filorga, e depois tenho a sorte de ter encontrado os melhores profissionais que, quando tenho um tempinho recorro a eles. No meu cabelo só confio na Cristina Rodrigues, a melhor Hairstylist do mundo e amiga de coração, os meus tratamentos na Bodyscience. Acho essencial uma mulher se sentir bem com ela mesma, então se tiver filhos ainda mais. Faz bem sentirmo-nos bonitas! É certo que a beleza não transparece apenas no espelho, mas sim no que nós construímos no interior e que depois refletimos no exterior, mas se conseguirmos confluir estas duas máximas é muito bom.

Foto: Rui Lourenço
Foto: Rui Lourenço

Além de ser uma pessoa sempre sorridente, e que transmite boa energia, é também muito bonita e elegante. O que faz para manter a linha?

Obrigada… tenho dois filhos, é o que eu costumo responder… também acho que tenho uma boa genética… tento ter uma alimentação saudável e tirar umas horas ao longo da semana para cuidar de mim… mas, nem sempre consigo…

É uma cara muito conhecida do público português. Simpática e humilde, nunca se deixou deslumbrar com o mundo da televisão, da fama. Porquê?

Desde de pequenina que me foi incutido que quase tudo é volátil e ilusório, todas as pessoas contam, independentemente dos seus trabalhos ou estatutos sociais. Somos um ponto no infinito mas, na verdade, somos todos diferentes e, por isso mesmo, temos que nos respeitar. Todos nós, ao longo da vida, passamos por diversas etapas, devemos ser humildes, tratar tudo com gratidão, inteligência e aprender com cada fase diferente da vida. Dar o melhor de nós em tudo o que fazemos. Nunca fui de me deslumbrar, agradeço, sim, todas as oportunidades que tenho tido ao longo da vida. E, na verdade, profissionalmente, tenho sempre projetos que me identifico e que adoro de coração.

«Uma vida sem amor e verdade não pode nunca ser feliz nem realizável»

É mãe de um menino e de uma menina. Quais são as suas maiores preocupações enquanto educadora?

Essa é um pergunta difícil… essencialmente, a minha maior preocupação é incutir aos dois os valores certos, que cresçam boas pessoas, lutadores, mas sem passar por cima de ninguém e que tenham a coragem para sempre seguirem os seus corações. No mundo em que vivemos, hoje, é muito difícil incutir pureza e sonho, verdade e amor. Eu sei que não se vive destes conceitos… mas, se os tivermos, acredito que sempre vamos vencer na vida… uma vida sem amor e verdade não pode nunca ser feliz nem realizável.

Revê-se nos seus filhos?

Claro! São o melhor de mim, é nos filhos que a imortalidade existe! Existe maior milagre que concebermos outras pessoas que são também um bocadinho de nós? A vida transporta o maior mistério e a maior dádiva. Têm o melhor de mim, transformaram-me enquanto mulher e enquanto ser, agradeço aos dois todos os dias por me terem escolhido como mãe… são o meu maior projeto, a minha maior dádiva e o meu maior desafio. São os dois muito diferentes, mas nos dois vejo o mundo inteiro… às vezes, o tempo pára e os problemas dissipam-se quando olho para os dois… é incrível a felicidade que os filhos trazem ao coração de uma mãe… as festinhas e os beijinhos deles apagam qualquer problema…

Adoro ser mãe e que maravilha ser destes dois seres tão especiais, todos os dias aprendo com eles, volto a ser criança… são eles a minha maior força. A Francisca ainda é muito pequenina, mas já com uma personalidade forte, muito destemida, feliz e bem disposta raramente chora, não pede muito colo, mas gosta sempre que alguém esteja ao pé dela a fazer-lhe companhia… o António sempre foi muito independente, sempre gostou de estar mais sozinho, não gostava de colo… é muito parecido comigo quando eu era pequenina, nomeadamente na tendência para fazer disparates… a Francisca, fisicamente, é muito parecida com o pai, enquanto o António é mais parecido comigo. Em relação à personalidade da Francisca ainda não sei… são os dois crianças muito felizes que me deixam muito orgulhosa e têm os dois uma relação linda.

Tem uma relação muito próxima com a sua irmã. Fale-nos desta cumplicidade tão especial…

A Sara é minha irmã gémea, conhece-me antes de alguém me conhecer. Partilhou comigo uma vida inteira, nunca estivemos sozinhas, sempre na companhia uma da outra, nas alturas mais felizes e nas menos felizes. Essa cumplicidade é inexplicável, porque na vida é normal ‘caminharmos sozinhos’, faz parte dela, mas eu tive o privilégio de sempre caminhar ao seu lado. A nossa relação será sempre assim, mesmo com famílias constituídas, mesmo com o crescimento que implica uma distância maior. Essencialmente, a nossa realidade irá manter-se na essência, igual, até ficarmos velhinhas. Além da Sara, também tenho outra irmã, mais nova, que teimo em lhe chamar ‘pequenina’, mas que de ‘pequenina’ já não tem nada, pois tem quase 30 anos e é também motivo de um grande orgulho.

Foto: Bernardo Coelho
Foto: Bernardo Coelho

Fale-nos dos seus projetos profissionais… 

Os meus projetos são sempre abraçados com amor, sou gestora de comunicação e ativo marcas das quais tenho que, necessariamente, me identificar para as poder comunicar com convicção. Acredito que quem não ama o que faz isso transparece. Além da comunicação, a escrita é a minha verdadeira paixão, é nela que liberto a minha alma e organizo os meus pensamentos. Já escrevi três livros infantis e espero, num futuro próximo, lançar um romance…

«Não sabermos o que o futuro nos reserva é muito mais engraçado…»

Tem a vida que sempre desejou?

Não… ninguém tem, acho eu… sonhamos com uma vida inatingível quando somos pequeninos, mas a vida dá muitas voltas e, normalmente, nunca é como nós idealizávamos. E isto não é mau! Não conseguimos controlar tudo na nossa vida e somos sempre surpreendidos com a magia de vivermos. Estamos sempre em mudança e em crescimento. Não sabermos o que o futuro nos reserva é muito mais engraçado.

Por onde deve começar quem quer mudar para ser mais feliz?

Definir prioridades, limites e aceitar quem realmente é… acredito que a felicidade são momentos e esses requerem atenção… a maior parte do tempo somos felizes, mas não temos consciência disso. A nossa sociedade é cada vez mais consumista, parece que nos educam que termos cada vez mais, é sinónimo de felicidade, mais no amor, mais na carreira, mais dinheiro. É tudo muito instantâneo e parece estar a pouca distância. Com o desenvolvimento tecnológico existe ‘um pau de dois gumes’. A nossa distância dissipa-se, mas a ilusão da facilidade aumenta. Então, acho que devemos dar valor às pequenas coisas…

Se lhe concedessem três desejos, o que pediria?

Uma revolução de valores no mundo, muitos problemas acabavam. Talvez os mais essenciais no mundo, muita saúde para todos e mais amor…

Propomos, com a HealthAdvisor que os nossos leitores assumam um estilo de vida mais saudável e responsável com o objetivo de melhorarem as suas vidas. Que dica, ou sugestão, saudável quer deixar aos nossos leitores?

Mexam-se! Cuidem de vocês, comam bem, façam tudo com contrapeso e medida e vão sentir-se com mais energia! Meninas, agora não temos desculpa! Ainda por cima, existem roupas lindas para fazermos desporto, deem uma espreitadela no site da Miitik, da qual sou embaixadora e maravilhem-se com a roupa de desporto e fatos de banho…

 

Por Tânia Martins

Jornalista

Editora HealthAdvisor

Agradecimentos: Bodyscience, Miitik, Cristina Rodrigues

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 + seventeen =