Na época das energias quânticas, da super informática, do conhecimento virtual e das transcendências, ainda não sabemos verdadeiramente como nos alimentarmos. Esquecemo-nos de que a comida que consumimos determina, quase por completo, o estado de saúde do nosso corpo (e não só). Há muita informação contraditória, muitas dietas diferentes, o que só serve para criar confusão naqueles que nunca se debruçaram seriamente sobre a ciência da alimentação.

Grande parte do que usamos, hoje, na alimentação foi concebido para o prazer sensual gustativo, minando a nossa energia e arrastando-nos para diversos problemas de saúde. Se, já no passado, cientistas da nutrição, tais como, Louis Kuhne, Sebastião Kneipp, Lezaeta Acharán, Amílcar de Sousa, José de Castro, e tantos outros, nos chamavam a atenção para o elevado risco de uma alimentação pouco natural e desequilibrada, hoje em dia, mais atentos deveríamos estar em relação à nossa nutrição. Muitas pessoas sabem (embora se esqueçam) que, muitas vezes, comer dois bons alimentos durante uma refeição pode causar (devido, à sua má compatibilidade) sérios problemas digestivos e, consequentemente, de saúde.

Também todos nós sabemos que o piloro gástrico só se abre para dar passagem ao bolo alimentar quando os alimentos já estão devidamente preparados pelos sucos gástricos. No entanto, poucos sabem que, ao ingerir, ao mesmo tempo, dois alimentos que precisam de tempo diferente para serem preparados pelos sucos gástricos, o que ficou preparado mais cedo fica a fermentar, causando ácidos (azias) inconvenientes para a continuidade da digestão e assimilação dos alimentos. Já para não falar da seleção que se deve fazer entre alimentos que são eletrodinâmicos e os alimentos electroestáticos.

O nosso corpo é energia!

Embora, aparentemente, possamos pensar, à primeira vista, que temos um real corpo físico, à luz das recentes descobertas, o nosso corpo não passa de um aglomerado de átomos em movimento energético constante. Com as recentes descobertas de nanotecnologia, conclui-se que o nosso corpo é energia.

Se somos criaturas de energia, temos de aprender a comer alimentos que mantenham/aumentem e equilibrem os nossos níveis de energia e, portanto, nos mantenham em saúde e aumentem a nossa longevidade. Mas, toda a energia tem um estado vibracional e uma frequência específica. Quase todas as doenças resultam de uma alteração ao nível da frequência vibracional e de uma intoxicação local ou generalizada.

Quando aparecem essas alterações, originam-se situações anómalas, que levam à desincorporação de órgãos, de sistemas e corporais. Quando células ou órgãos do nosso organismo perdem a sua natural vibração/frequência, ganham composições químicas alteradas (mais ácidas), que originam o início de uma deterioração progressiva e sequente decomposição.

Quando há alteração celular (atómica-magnética), inicia-se o caminho para a necrose (morte de células, tecidos ou partes de um órgão por infeção ou perturbação da irrigação sanguínea).

Além disso, muito do que comemos não é devidamente metabolizado por desequilíbrio energético, originando resíduos nos nossos corpos. Estes resíduos tornam-se também muito ácidos, inconvenientes e de difícil eliminação, depositando-se nos nossos órgãos e tecidos, criando bloqueios e outras perturbações.

Quando um organismo armazena demasiados resíduos ácidos, fica exposto à virulência de microorganismos que se desenvolvem nesse ambiente.

Quase todas as doenças humanas resultam de situações deste género.

Hábitos para ter uma vida mais saudável

O naturopata Louis Kuhne já referia esta situação numa época em que não se pensava nas energias quânticas. E mais! O próprio dizia que era possível fazer regredir muitas doenças se adotássemos por uma alimentação natural e aplicássemos práticas diversas de hidroterapia e atividade física, de modo a expulsar os resíduos armazenados no corpo.

Nada mais simples do que fazermos uma seleção do que precisamos para a nossa alimentação.

O excesso de cozinhados, de carnes, de doces, de café, de álcool, de farinhas refinadas e a falta de frutas, de legumes frescos e saladas alteram, por completo, o equilíbrio energético / vibracional / frequencial, ou seja, o ambiente interno do nosso corpo.

Estamos a chegar a uma época em que o Homem começa a perceber que é mais do que um corpo.

O Ser Humano é um ser espiritual em evolução.

Uma alimentação natural / científica, pode contribuir completamente para facilitar a ascensão espiritual do Ser Humano.

 

Por JM Brandão dos Santos

Villa Hostilina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

fifteen − two =