A HealthAdvisor esteve à conversa com Pedro Choy, um dos maiores rostos da medicina chinesa e da acupuntura em Portugal e revela alguns dos seus “segredos” para uma vida mais saudável!

A acupuntura é uma das terapias alternativas mais conhecidas e utilizadas em todo o mundo. Mas, como funciona exatamente a consulta de acupuntura?

Nas Clínicas Pedro Choy, antes de se iniciar uma sessão ou um conjunto de sessões de acupuntura, é sempre efetuada uma consulta com vista ao diagnóstico à luz da Medicina Tradicional Chinesa – MTC. Nessa consulta, o especialista em MTC observa o paciente para uma análise dos sinais e sintomas que apresenta, mas também para entendimento do seu quadro global que o faz diferente e único, com vista ao estabelecimento do princípio de tratamento específico ajustado a si, independentemente da patologia em causa. Recorre a várias análises, para esse diagnóstico, que englobam desde interrogatório, observação, perceção dos sons e odores que possam caracterizar o quadro clínico, palpação, culminando com a observação da língua e palpação do pulso radial. De todo este processo, é delineado um plano de tratamentos que, por norma, inclui sessões de acupuntura e prescrição de fitoterapia.

Concretamente e indo ao encontro da sua questão, a acupuntura consiste na introdução de agulhas extremamente finas e indolores em pontos específicos do corpo do paciente (pontos de acupuntura) que vão estimular o seu organismo a proceder às correções necessárias ao restabelecimento do equilíbrio energético e consequente melhoria do quadro de saúde. Cada sessão de acupuntura demora, em média, cerca de 20 minutos. À sessão de acupuntura podem ser associadas, conforme os casos específicos, outras técnicas de otimização do resultado terapêutico (moxibustão, electroestimulação, por exemplo…).

As agulhas são introduzidas em pontos de acupuntura específicos do corpo para estimular o sistema complexo de meridianos energéticos que percorre o organismo

A colocação de agulhas é dolorosa?

Não, de modo algum! As agulhas são introduzidas em pontos de acupuntura específicos do corpo para estimular o sistema complexo de meridianos energéticos que percorre o organismo. Promove a regulação da circulação energética e restabelece o equilíbrio do organismo.

Existem mais de 3 mil pontos de acupuntura espalhadas pelo corpo. Conte-nos alguns pormenores destes pontos principais…

Muita coisa pode ser dita. No entanto, posso dizer que há pontos que agem mais no interior do corpo, na sua estrutura interna, visceral, outros com ação mais específica no exterior do corpo, na defesa contra fatores externos climáticos, por exemplo, pontos que respondem a quadros emocionais mais complexos ou a carecer de alguma ação de desbloqueio, pontos de concentração de energia e pontos com vista a fazer circular energia, sangue e líquidos orgânicos… enfim, há pontos com as mais variadas ações. Mas, o que é importante reter é que o que faz a diferença é a forma como se percebe o diagnóstico energético do paciente particular e a conjugação de pontos que se prescrevem em resposta a esse diagnóstico. Os pontos obviamente que, isolados, têm uma ação sobre o organismo mas a sua conjugação é que promove as sinergias e as otimizações necessárias ao restabelecimento da saúde.

A acupuntura é uma “arma” válida para qualquer tipo de patologia?

Sim, sem dúvida. Toda e qualquer patologia, independentemente da sua origem e/ ou da sua complexidade, é uma alteração do “equilíbrio” energético do paciente. Tendo a acupuntura uma ação benéfica nos reequilíbrios vários do organismo – sangue, energia, líquidos orgânicos, sistemas internos, modulação da imunidade… – obviamente que é uma “arma” válida para qualquer tipo de patologia. A atestar esses benefícios da acupuntura, estão os inúmeros casos de sucesso que temos disponíveis para consulta no nosso site. Por norma, as pessoas gostam muito de os ler, porque acabam por se rever nas situações descritas, embora, depois, cada caso tenha a sua especificidade, sendo um dos objetivos da consulta o entendimento, tão completo quanto possível, dessa mesma especificidade.

É capaz, até, de tratar queimaduras solares?

A queimadura solar é uma lesão de um agente externo do tipo calor sobre o tecido cutâneo, podendo abranger várias camadas do mesmo. Quer o tecido cutâneo, na sua globalidade, quer as suas várias camadas, são geridos por sistemas energéticos bem conhecidos da medicina chinesa e, como tal, quer a sua proteção quer a estimulação da sua regeneração pós-trauma, podem ser tratados pela medicina chinesa e pela acupuntura.

Estas duas medicinas (Convencional e Alternativa) devem ser aliadas e caminhar de mãos dadas

Quais são os problemas de saúde que mais levam os portugueses a recorrer à medicina chinesa?

Indubitavelmente a ‘dor’, nas suas mais variadas formas. Dor crónica, dor muscular, dor neuropática, cervicalgia, dorsalgia, catalgia… entre muitas outras. No entanto, os casos do foro emocional – Depressão, Ansiedade, Tristeza, Preocupação, Receio, Falta de Paciência, entre outros – têm cada vez mais procura na medida em que os pacientes encontram uma forma de tratamento que lhes permita um reencontro consigo próprios e com as suas “vidas” familiares, profissionais… sem perda de identidade ou dependência futura.

Acredita que os tratamentos convencionais e alternativos se complementam?

Completamente. Sempre foi essa a minha premissa. Estas duas medicinas devem ser aliadas e caminhar de mãos dadas. Por exemplo, o cancro – que é uma das doenças mais devastadoras que a Humanidade já teve de enfrentar – é um comportamento erróneo interno, a medicina chinesa gerou formas para o próprio organismo se restabelecer, energeticamente, de modo a impedir a progressão das células erradas. Mas há que frisar: não trocamos o tratamento mais agressivo e mais célere da medicina convencional para fazer apenas a acupuntura e a fitoterapia chinesa.

As Clínicas Pedro Choy disponibilizam métodos exclusivos de tratamento para uma vida saudável. Fale-nos destes tratamentos e o que proporcionam…

Posso falar, por exemplo, em dois métodos que, ao longo dos mais de 30 anos de experiência, desenvolvi: um método para deixar de fumar e um método de emagrecimento.

O método para deixar de fumar, através da acupuntura e da fitoterapia chinesa, tem a capacidade de controlar o fenómeno da adição tabágica, cuja ação promove uma gradual desintoxicação do organismo.

Estes dois ramos da Medicina Chinesa permitem que ocorra a libertação de substâncias como endorfinas e serotonina, o que contribui para um maior relaxamento e diminuiçãio dos efeitos de abstinência da nicotina – insónia, ansiedade, irritabilidade, fome, etc.

Desenvolvi também um método de emagrecimento com carcterísticas muito próprias e singulares. Este método tem como linhas basilares a durabilidade e o equilíbrio de todo o organismo, uma vez que a medicina chinesa encara sempre o indivíduo como um todo. Numa primeira consulta, é efetuado um diagnóstico, onde é estabelecida uma meta de acordo com o objetivo pretendido, quer seja perda de peso, gorduras localizadas ou combate a celulite. No caso de haver necessidade de adelgaçar (nem sempre há) utilizamos a acupuntura adelgaçante – uma técnica excelente para eliminar eficazmente gorduras localizadas e celulite, redefinir a silhueta e prevenir a flacidez.

Foram dois métodos desenvolvidos com base em centenas e centenas de pacientes que por mim passaram.

São várias as doenças causadas pela má alimentação. Partilhe connosco alguns dos segredos para uma vida mais saudável…

É uma questão que nos levaria a páginas e páginas. No entanto, se me pede alguns “segredos”, eu acho que comer os alimentos da época e produzidos – pela Natureza – no local que habitamos é um dos maiores “segredos” para a rentabilização (quantitativa e qualitativa) do alimento nas suas variadas componentes: desde nutritiva a terapêutica. Só há aqui mais uma “deixa” que é o aprendermos a ajustar o horário de melhor aproveitamento da energia alimentar em função daquilo que é o nosso dia funcional, o nosso ciclo energético diário. Estas questões são afloradas, nas nossas consultas, nos mais variados quadros clínicos, sempre que é pertinente fazê-lo.

 

Fotos Pedro Choy: Cedidas pelo entrevistado

Por Tânia Martins

Jornalista

Editora HealthAdvisor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

five + four =